quinta-feira, 2 de março de 2017

Sob a sombra da lua cheia - parte 05


Obs.:  Para ver outros textos do livro, clique no link da resenha:


Capítulo 02 - parte 05

Galgando a cerca de tábuas, ela sentou-se ao lado dele. Usava uma calça jeans desbotada que se ajustava perfeitamente em seu lindo corpo bem torneado; botas pretas e compridas. E, na cabeça, via-se um chapéu de cowboy.
 Olhando para as montanhas ao longe, as quais podiam ser vistas de qualquer ponto do rancho, ela falou:
--- Senti imensa saudade daqui.
--- Não foi nada fácil, hein?
--- Eu contava os dias, papai. Mas, felizmente me formei.
--- Eu a compreendo, Carrie. Sei o quanto você ama esta
região.
Ela balançou a cabeça dizendo:
--- Sim; muito. O cheiro do mato, das flores e até dos animais. O ar daqui é, simplesmente, renovador! --- exclamava ela erguendo a cabeça e aspirando o ar fresco.
O curral aos poucos ia ficando vazio, com exceção de algumas vacas leiteiras e sua crias que ainda permaneciam por ordem de José Pires. Seus empregados abriam as porteiras e tangiam o gado. Os animais, então, saíam rumo às pastagens. Enquanto José Pires e sua filha conversavam, alguém se aproximou para lhe dar um recado.
--- Senhor Moore, o xerife Tim Walker acaba de chegar.
Após dar algumas instruções aos empregados, ele desceu da cerca e dirigiu-se à sua residência sendo seguido pela filha.
Um homem gordo e baixo aparentando uns cinquenta anos, o esperava  sentado numa cadeira na varanda. Ao vê-lo, o saudou.
--- Bom dia, xerife! Afinal, que ventos trazem o senhor aqui?
O xerife levantou-se para cumprimenta-los.
--- Senhor Moore, Sam, aquele rapazinho que trabalha em seu rancho, pode me dizer se ele veio trabalhar hoje?
Surpreso com a pergunta, ele respondeu:

--- Não, hoje ele não veio. 
Postar um comentário